Pesquisar neste blogue

terça-feira, 15 de junho de 2010

Falta de expressão

Risco sobre o risco,
Nervoso insisto;
Do risco não desisto
Pois eu persisto.

Não lhe consigo a forma,
Nem traços do seu rumo
A caneta não se conforma
Mas o risco é como o fumo.

Se a palavra está aquém da ideia
Capitularei perante a essência,
Deixo o risco que chateia
É da minha trancendência.

Afonso Costa

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

    ResponderEliminar